Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Organização, Edição Nº 349 - Jul/Ago 2017

AVANTE! – a voz dos trabalhadores e do povo

por Manuela Pinto Ângelo

Conforme consideram os Estatutos do Partido no seu artigo 69.º: «A imprensa do Partido é instrumento do trabalho de organização, de orientação e formação política e ideológica, de informação e propaganda da sua actividade, de notícia, de reflexão e debate sobre os problemas nacionais e internacionais.»

A imprensa partidária – o Avante! e O Militante – constituem, assim, instrumentos essenciais e insubstituíveis na vida e actividade do Partido.

Cada um por si e em conjunto desempenham um papel fundamental, quer na divulgação das opiniões, análises e orientações do Partido em matérias de âmbito nacional e internacional, na troca necessária e útil de experiências, na batalha de ideias, na elevação da consciência de classe e política, na formação, mobilização e ajuda aos militantes visando a sua intervenção no esclarecimento, na crítica ao capitalismo e à sua natureza exploradora, opressora, agressiva e predadora, na informação com verdade, na valorização das lutas dos trabalhadores e dos povos que se travam em Portugal e no mundo, quer para o reforço orgânico do Partido e para a sua influência junto dos trabalhadores e das populações.

Neste quadro, o alargamento da sua divulgação, da sua leitura e estudo pelos militantes comunistas e a sua difusão e venda junto das massas trabalhadoras são factores decisivos para o aumento da capacidade de intervenção do Partido e da sua influência social, política e eleitoral.

No quadro actual marcado por uma profunda e inquietante desinformação, pelo silenciamento, diminuição ou deturpação das posições do Partido e das lutas dos trabalhadores, a imprensa do Partido, em particular o Avante!, assume uma importância relevante e insubstituível no âmbito da informação e do esclarecimento político e ideológico.

Face à intensa campanha ideológica desencadeada pelo grande capital que tem ao seu dispor poderosíssimos meios de difusão da sua ideologia, desde logo o domínio da esmagadora maioria dos órgãos de comunicação social, que servem os seus interesses, a difusão e leitura do Avante! é cada vez mais necessária para a compreensão real dos problemas com que os trabalhadores e os povos estão confrontados.

O Avante! é o jornal que informa com verdade o que «as televisões não mostram, as rádios não falam e os jornais não escrevem», afrontando a ofensiva ideológica que, no quadro do agravamento da crise estrutural do capitalismo, tem como objectivo perpetuar as posições dominantes dos grupos económicos e financeiros e das forças e interesses que os representam visando: «Apresentar o capitalismo como sistema para o qual não há alternativa; divulgar concepções reaccionárias e obscurantistas de carácter  fascista  e fascizante, de combate à liberdade e à democracia, de promoção de guerras, de justificação e defesa dos crimes do imperialismo; justificar e procurar legitimar as concepções e ingerências da União Europeia e o condicionamento da soberania nacional; branquear o fascismo e agudizar o anticomunismo; desvalorizar a luta dos trabalhadores e dos povos; difundir a resignação, o conformismo e o individualismo; promover a divisão dos trabalhadores e a colaboração de classes; insistir na inevitabilidade do agravamento da exploração da retirada de direitos e do retrocesso social e civilizacional.» (Resolução Política do XX Congresso do PCP)

O Avante!, órgão central do Partido Comunista Português, desempenha, portanto, um papel fundamental para que os trabalhadores e o povo possam conhecer e compreender o projecto, as propostas, as posições e análise do nosso Partido.

O Avante!, na sua longa história de 86 anos de vida, desempenhou um papel ímpar na imprensa portuguesa, honrando o fim para que foi criado, assumindo um papel determinante e permanente no combate político e ideológico e na afirmação do projecto e ideal comunistas. Foi assim nos tempos difíceis do fascismo, contribuindo para o seu derrube. E foi assim a voz da Revolução de Abril e das suas conquistas.

Foi e é o órgão central de um Partido que hoje intervém na nova fase da vida política nacional pela defesa, reposição e conquista de direitos, pela ruptura com a política de direita e pela concretização de uma política patriótica e de esquerda, componente indissociável da luta pela democracia avançada vinculada aos valores de Abril, pelo socialismo e o comunismo.

É neste quadro que a intervenção e iniciativa do Partido se tem de desenvolver utilizando de forma integrada todos os meios disponíveis, nomeadamente a imprensa do Partido, em particular o Avante!, que no âmbito das medidas de reforço orgânico tem de merecer redobrada e permanente atenção de todo o colectivo partidário.

Foi tendo presente esta necessidade que o Comité Central, na sua reunião de 8 de Novembro de 2015, decidiu realizar uma «Campanha Nacional de Difusão do Avante!» que se prolongou até Março do corrente ano, inserida na acção geral de reforço do Partido, com o objectivo de alargar a divulgação e venda do órgão central do Partido junto da classe operária e de todos os trabalhadores nas empresas e locais de trabalho, junto dos reformados, dos micro, pequenos e médios empresários, agricultores, dos intelectuais e quadros técnicos, das mulheres, dos jovens e de um modo geral das classes antimonopolistas a quem o Avante! dá voz e cujos interesses e direitos defende.

Sendo verdade que o alargamento da difusão do nosso jornal é uma tarefa permanente, que não se esgota, que tem de estar sempre presente na acção quotidiana das organizações e de todos os militantes, a campanha permitiu ultrapassar dificuldades, rotinas e insuficiências evidentes que se vinham a manifestar e elevar o empenhamento das organizações nesta tão importante direcção de trabalho para o reforço do Partido e que tem de merecer outra atenção na acção e actividade partidária.

No desenvolvimento da campanha, suportada em diversos materiais de afirmação, todas as organizações definiram, no quadro do objectivo geral, as suas metas. Alargou-se a discussão, o que contribuiu para aumentar a compreensão sobre a importância da leitura e estudo do Avante! e do seu papel na ligação do Partido às massas, meio de contacto permanente com os seus militantes, simpatizantes e outros democratas e factor de alargamento da sua influência e prestígio.

A questão central que se colocou, e que permanece válida, era a de ampliar o número de compradores e leitores regulares do Avante! e alargamento do número de camaradas que fazem a sua distribuição.

O balanço é positivo. Finalizada a campanha há, em número significativo, mais militantes e amigos do Partido que passaram a comprar semanalmente o Avante! e responsabilizaram-se mais camaradas pela importante tarefa, dizemos mesmo a importantíssima tarefa, de os contactar todas as semanas para lhes fazer chegar o jornal.

A campanha evidenciou e confirmou de forma clara enormes potencialidades e a existência de um vasto campo de afirmação e expansão para a difusão do Avante!.

A campanha chegou ao fim. Mas não terminou a necessidade de prosseguir os esforços, com determinação, persistência e militância, visando levar sempre e sempre mais longe o órgão central do Partido.

Neste sentido, é preciso consolidar e prosseguir a concretização de linhas de trabalho que permitam fazer chegar o Avante! a muitos mais militantes de modo particular a todos os novos militantes, a mais trabalhadores e ao povo, nas empresas, locais de trabalho e nas ruas.

A experiência mostra que é fundamental, do ponto de vista de direcção, assumir que, no conjunto das inúmeras tarefas que permanentemente temos de realizar, a difusão do Avante! não é mais uma dificuldade, antes pelo contrário, como afirmou Lénine: «O jornal é não só um propagandista colectivo e um agitador colectivo, mas também um organizador colectivo», constituindo assim uma ajuda inestimável à acção e reforço do Partido.

É, pois, necessário levar mais longe a discussão que tem de ser regular e acompanhada do efectivo controlo de execução das decisões que se tomam, para continuar a alargar a difusão do Avante!.

É necessário continuar a fazer o levantamento de potenciais leitores regulares, fora e dentro do Partido, com prioridade para os quadros de direcção, para os militantes e amigos que diariamente trabalham nos sindicatos e comissões de trabalhadores, nas autarquias, comissões de utentes, definindo no imediato quem fica responsável por cada um dos contactos.

Prosseguir o alargamento do número de camaradas responsáveis pela difusão do Avante! junto dos militantes e simpatizantes, valorizando a tarefa, dando a ajuda necessária para o seu desenvolvimento com vista a ganhar novos leitores regulares.

Assumindo a organização partidária como elemento fundamental para o aumento da difusão do Avante!, é preciso, tendo em conta a realidade de cada organização, continuar a reflectir como tornar mais vasta a rede de distribuição, com mais pontos de distribuição e recepção da imprensa (as designadas ADE), aproximando o jornal de mais empresas, locais de trabalho, freguesias e bairros.

Nesta dinâmica de aproximação do Avante! aos trabalhadores e às populações é importante dinamizar de forma mais regular e inovadora a sua promoção pública com a realização de bancas e outras acções.

As vendas especiais do Avante! associadas ao tratamento de assuntos da actualidade e de particular relevo, são uma experiência muito positiva para a difusão do jornal e para o combate das ideias, pelo que devem ser ainda mais potenciadas.

A Festa do Avante!, festa de Abril, do povo e da juventude tem de continuar a ser potenciada como espaço privilegiado para a divulgação e venda do jornal que lhe deu o nome. A experiência muito positiva vivida na Festa de 2016, com a edição de um número especial, e que vai ter continuidade na Festa deste ano, tem de ser ainda mais e melhor aproveitada.

No quadro dos meios e possibilidades existentes é necessário prosseguir o esforço que tem sido feito para fortalecer a capacidade de elaboração, aprofundamento e diversificação de conteúdos e tratamento de questões de actualidade.

Estreitar a colaboração e a articulação com as organizações do Partido, através do envio de informações, sugestões e notícias sobre questões partidárias, laborais ou sociais, permite a melhoria global do conteúdo do jornal e torna-o ainda mais o espelho da intervenção e actividade partidária, permitindo uma diversidade muito enriquecedora. Melhorar o conteúdo e facilitar a leitura do Avante! são objectivos permanentes. O papel e contribuição das organizações e de cada militante na concretização destes objectivos são muito importantes para ter um jornal cada vez melhor.

O novo grafismo do Avante!, implementado em Março, constitui um novo esforço para uma melhor leitura e maior valorização dos seus conteúdos e imagens, valorizando o seu papel de dar voz à luta dos trabalhadores e do povo.

A difusão do Avante! em papel é um meio privilegiado no contacto directo e semanal com os milhares de membros e amigos do Partido e é para aí que têm de estar direccionados os nossos esforços, não desprezando a presença do Avante! na internet, cujo sítio – www.avante.pt – está neste momento em reformulação com o intuito de melhorar o seu aproveitamento e as potencialidades que esta ferramenta permite na divulgação do Avante!, levando mais longe a voz do PCP.

A intervenção do Partido, assente no papel decisivo da organização partidária e tendo como elemento principal a luta de massas, à qual se associa a luta institucional, exige o aproveitamento articulado de todos os meios e instrumentos.

Levar mais longe o Avante!, instrumento de reforço do Partido, esclarecimento político e ideológico, unidade e luta é tarefa de todas as organizações e de todos os comunistas.

Jerónimo de Sousa -É necessário e possível levar mais longe o Avante!

Em jeito de balanço do caminho percorrido até aqui, Jerónimo de Sousa garantiu que o Avante! «tem a honra de poder afirmar que, na sua longa vida, cumpriu o seu papel de jornal de classe e arma insubstituível do PCP ao serviço dos trabalhadores e do povo». Tal só foi possível, garantiu, porque nunca se deixou «submeter ou intimidar pelo terror da ditadura fascista ou pelas muitas tentativas de silenciamento por parte da ideologia e dos poderes dominantes».

(…)

Passando em revista a história do Avante! desde a sua fundação, em 1931, e até aos dias de hoje, o Secretário-geral do Partido destacou o papel ímpar hoje desempenhado pelo jornal do PCP enquanto «porta-voz da ruptura com a política de direita e por uma alternativa patriótica e de esquerda, componente indissociável da luta por uma democracia avançada com os valores de Abril no futuro de Portugal, a luta pelo socialismo e o comunismo». Pela sua importância, é necessário levá-lo mais longe, realçou Jerónimo de Sousa, questionando: «que fazer na nossa organização para fazer chegar o Avante! a muitos mais militantes? Como fazê-lo chegar, de modo particular, aos novos militantes? Como fazer chegar o Avante! aos trabalhadores e ao povo, nas empresas, locais de trabalho e nas ruas? Como promover a divulgação do Avante! aumentando o seu prestígio e influência social e política, e o prestígio e influência social e política do Partido?» Uma coisa é certa, garantiu: «ouvindo quem está com a “mão na massa” tira-se uma conclusão segura. É possível aumentar a venda do Avante!.».

(Notícia sobre a intervenção do Secretário-geral do PCP, no Encontro de Quadros da ORL no 85.º aniversário do Avante! e início da campanha nacional de difusão do Avante!– Avante!, n.º 2151, de 19 de Fevereiro de 2015).